fbpx
Expansão da Consciência

A dor de Não saber por onde começar

Há um pouco mais de 3 décadas lidando com desenvolvimento humano, usando a mim como protótipo, e levando conhecimento e transformação aos mais diversos tipos de pessoas, tenho deparado com uma situação muito recorrente: a dor de não saber por onde começar.

 

É uma dúvida que começa pequena, que gradualmente, pela falta de ação e resultados, ela se torna dolorosa e perigosa.

 

Geralmente, essa dúvida começa mais ou menos assim:

  • Quero muito cuidar de minha saúde e alimentação, mas…
  • Sei que preciso organizar minhas finanças, mas…
  • Eu sinto falta de ter mais tempo com minha família e amigos, porém…
  • Preciso planejar e viver meus sonhos, mas…

 

Isso lhe soa familiar?

 

Os estágios da mudança

Observando as coisas por um prisma positivo, essa dúvida pode até ser considerada um avanço, pois saber e ter consciência de que algo precisa ser modificado, já é um caminho andado. É um dos estágios da mudança, que podemos simplificar da seguinte forma:

Primeiro Estágio –  incompetente inconsciente: É quando não temos consciência dos nossos pontos a desenvolver, de nossos desafios pessoais, ou mesmo, quando simplesmente não queremos olhar para isso, portanto, somos incompetentes naquele momento para mudar significativamente aqueles aspectos de nossas vidas, e nos apegamos em pequenas mudanças superficiais. Vou dar um exemplo bem simples: sabe quando algo dá errado, e ao invés de uma nova postura, uma ação diferente, a pessoa resolve mudar o visual, e para por ai?

 

Segundo estágio – incompetente consciente: quando estamos passando pelo primeiro estágio, e de repente a vida ou alguém lhe dá um baque, e algumas coisas começam a ficar um pouco mais claras. Lembro de uma amiga que depois de muito tempo, percebeu que precisava cuidar de sua saúde física quando alguém lhe fotografou espontaneamente, fora das poses. Quando ela viu a foto, ficou assustada do quanto estava diferente do que “imaginava”; além da autoestima abalada por questões estéticas, associou o fato com sua baixa energia física, fadigas e dores constantes. E a partir desse evento ela percebeu que precisava fazer algo para mudar aquela realidade, ou poderia ter problemas num futuro próximo. Nesse estágio, ainda não mudamos e nem fazemos nada pra mudar, mas já temos consciência de que é preciso agir.

 

Terceiro estágio – competente consciente: nesse ponto já temos consciência do que precisa ser mudado ou aprimorado, e damos os primeiros passos para que isso aconteça. É um estágio no qual ainda não temos domínio pleno sobre o que estamos aprimorando e precisamos estar atentos, ou seja, ainda não temos uma habilidade completamente desenvolvida, mas estamos treinando e buscando o aprendizado através da ação.

 

Quarto estágio – competente inconsciente: após treinarmos e nos dedicarmos naquilo que gostaríamos de transformar, finalmente as mudanças acontecem, começamos a nos tornar hábeis e aquilo parece algo mais natural para nós. Um bom exemplo é quando aprendemos a amarrar o cadarço do sapato, e após muita prática, conseguimos fazê-lo de forma natural, inconsciente, sem precisar de uma grande concentração ou esforço para isso.

 

O que fazer? Como fazer? E com quem?

 

Voltando ao início do assunto, é ótimo e muito positivo quando já sabemos que precisamos modificar algo em nossas vidas. A questão é: como? Por onde começar? Existe alguém que pode facilitar o processo?

 

Bem, existem muitos aspectos, e vou citar apenas dois. O primeiro é que para desenvolvermos uma habilidade, são necessárias outras habilidades e capacidades. Para a liderança por exemplo, precisamos desenvolver sub-habilidades, como uma comunicação efetiva, empatia, visão sistêmica, etc. O segundo é que  nem sempre o fato de saber que precisamos mudar algo em nossas vidas significa que realmente vamos realizar essas mudanças. Existem sutilezas e peculiaridades na mente, na alma humana e nas experiências subjetivas de cada pessoa. Uma mudança de comportamento pode para parecer simples para uma pessoa, porém, para outra pessoa é algo extremamente complexo, pois por trás desse comportamento existem crenças limitadoras profundas, traumas, uma identidade confusa, autossabotagem, entre outros, que sozinhos não conseguiremos acessar, ou levaremos muito tempo para isso

 

Em ambos aspectos, nem sempre isso está muito claro para quem sabe que precisa mudar. É necessário mapear, traçar um plano e reunir o máximo de informações e apoio para isso.

E existem pessoas que realmente dedicam sua vida, sua energia e sua história para agirem como facilitadores de quem busca viver uma real transformação. Pessoas que conseguem desenvolver uma visão global sobre essas mudanças, metas e objetivos, ao mesmo que trabalham a singularidade de cada ser humano. Essas pessoas são essenciais em nossos processos de mudança, do incompetente inconsciente para o competente inconsciente. São cuidadores, treinadores, professores, investidores, mentores.

 

Isso não significa, absolutamente, que uma pessoa não possa fazer mudanças profundas sozinha. Isso é completamente possível. Mas é fato que, se podemos contar com um apoio forte, porque não?

 

Aprender. Desaprender. Reaprender.

 

Na Programação Neurolinguística costumamos dizer que o ser que mais se desenvolve não é o mais forte ou o mais inteligente, e sim o que tem maior flexibilidade. Para mudar, é necessário flexibilizar, e reconhecer quando algo já não é mais útil. Aprender. Desaprender. Reaprender. E se você busca esse processo dentro de você, está no lugar certo.

Posso afirmar que afirmar que compreendo sua dor, pois também  passei por processos profundos e dolorosos de mudanças, e graças à consciência que eles me deram, por todo suporte que recebi, e por tudo que aprimorei dentro e fora de mim, hoje me realizo através das realizações de outras pessoas, amparado não apenas pelas experiências e vivências, como também por ciência e estudos validados. Você pode conferir um pouco da minha história aqui (colocar o link do “conheça seu mentor).

Não sabe por onde começar, mas sabe que precisa fazer algo de diferente? Sente a real dor de não agir, não saber como agir e ver o tempo passar?

Saiba que verdadeiramente você não está sozinha ou sozinho. Estou aqui para andar lado a lado com você, não apenas para o primeiro passo, mas para muitos que virão. E saiba desde já que esse negócio de autoconfiança e autorrealização viciam! Permita-me ser o seu mentor. Vamos juntos?

 

Jornada da Autoconfiança – 08 Semanas que valem por um ano de Coaching na sua Vida.

Anterior Próximo

Você pode gostar também

Seja o primeiro a Comentar

Comente