fbpx
All Posts By

Ariovaldo Ribeiro

Autoconhecimento

As “Sete mentiras do sucesso” por Anthony Robbins, fazem sentido para você?

Na última semana falamos rapidamente sobre crenças. Digo rapidamente porque é um assunto extremamente profundo, com inúmeras possibilidades.

 

Por serem hábitos psicológicos, mudam de pessoa para pessoa, e acabam se tornando a estratégia interior de cada indivíduo. Podemos entender mais ou menos assim: Pessoas diferentes, experiências diferentes, crenças diferentes e estratégias diferentes.

 

O fato é que as crenças não podem ser classificadas como verdades ou mentiras absolutas. Elas simplesmente fazem parte de nossas vidas e alteram nossos estados emocionais  e consequentemente nossos resultados, sejam elas limitantes ou possibilitadoras.

 

No livro “Poder sem limites” o autor Anthony Robbins, após estudar várias personalidades de sucesso, em diversos campos, identificou 7 crenças em comum nessas pessoas, que ele chama de “as sete mentiras do sucesso”.

 

Em um trecho do livro, o autor cita:

 

“A palavra “mentira” não significa “ser enganoso ou desonesto”. Antes, é uma maneira útil de nos lembrar que, não importa o quanto acreditemos num conceito, devemos ser abertos para outras possibilidades e contínuo aprendizado. Sugiro que olhe para estas sete crenças e decida se são úteis para si. Encontrei-as repetidas vezes em pessoas de sucesso que modelei. Para modelar excelência, temos de começar com os sistemas de crença da excelência. Descobri que estas sete crenças fortaleceram pessoas a usar, fazer mais, adotar maiores medidas e produzir maiores resultados. Não estou dizendo que são as únicas crenças úteis do sucesso. São um começo. Elas funcionaram para outros, e gostaria que visse se funcionam para você.”

 

Veja um resumo dessas sete crenças:

 

Crença 1: Tudo acontece por uma razão e um fim, e isso nos serve. Reconhecer  o potencial em uma situação e não o obstáculo. Acreditar que a adversidade nos faz crescer e prosperar, mesmo que naquele momento não consigamos entender como. É ver o copo meio cheio.

 

Crença 2: Não há essa coisa chamada fracasso. Há somente resultados. Acreditar que erros não são fracassos, e sim aprendizados, às vezes mais valiosos do que os acertos. As pessoas bem sucedidas usam as palavras “efeito” e “resultados”. Há feedback, há aprendizado a partir de uma experiência. Utiliza a metáfora do navio que corrige o curso para chegar ao destino.Quando conhecemos o que não dá mais certo, podemos mudar a estratégia.

 

Crença 3: Qualquer coisa que aconteça, assuma a responsabilidade. Ser responsável e saber responder aos fatos, e não terceirizar responsabilidades. Somos responsáveis por nossos erros e também por nossos acertos. Terceirizar a responsabilidade trás frustração e a sensação de que você não está no comando de sua própria vida.

 

Crença 4: Não é necessário entender tudo para ser capaz de usar tudo. Já ouviu aquela frase “feito é melhor do que perfeito”? Pessoas bem sucedidas captam a essência de uma situação, focam no que precisam e não se apegam ao resto. São boas em fazer distinção entre o que é necessário e o que não é.

Crença 5: As pessoas são os seus maiores recursos. Respeitar e apreciar as pessoas, independentemente de falhas e acertos são características de pessoas de sucesso. Ter senso de equipe, de comunidade. Não usam as pessoas, mas as tornam úteis, ou seja, “utilizam” as pessoas (e elas ficam felizes por se sentirem úteis)

Crença 6: Trabalho é prazer. Trabalhar com entusiasmo e prazer. Fazer com amor e com senso de propósito.

Crença 7: Não há sucesso permanente sem confiança. As pessoas de sucesso não são as mais brilhantes, mais ágeis, mais fortes ou melhores em suas áreas. Elas acreditam em seu potencial,  e por isso  se aprimoram, se superam.  Pessoas bem sucedidas estão dispostas ao autodesenvolvimento constante.

 

Essas crenças fazem sentido para você?

 

Para que essas e outras crenças possam ser absorvidas por sua mente e por sua alma, e muitas outras sejam ressignificadas, é importante que se faça uma reflexão, uma análise de si, e em seguida, que se inicie ou reinicie um trabalho de reconhecimento de seus pontos fortes e de todo potencial que há dentro de você. É necessário que haja AUTOCONFIANÇA para iniciar e bancar qualquer mudança significativa em sua vida, e consequentemente, o sucesso naquilo que você tanto almeja!

SEJA AUTOCONFIANTE, E VIVA UMA VIDA PLENA DE ABUNDÂNCIA!

O Céu é o limite.

Ariovaldo Ribeiro

Expansão da Consciência

Crenças: suas percepções sobre você e sobre o mundo.

Você já viveu uma situação que lhe paralisou, mas simplesmente não apresentava um risco real?  E por causa disso, você perdeu algum tipo de oportunidade?

 

Vamos imaginar uma pessoa que é convidada para uma festa incrível, mas essa pessoa acredita que não é tão boa, merecedora ou interessante quanto as outras pessoas que estão ali. Como será que está essa festa incrível no mundo interior dessa pessoa? Será que ela está se divertindo e curtindo cada momento? Ou será que está vivendo uma tortura por se comparar e se julgar a todo instante?

 

Um outro exemplo clássico são as crianças que tem medo do monstro que elas acreditam que mora dentro do armário ou debaixo da cama. Por mais que um adulto vá até seu quarto, acenda a luz, mostre e prove  que não existe nada ali, seu medo continua sendo real.

 

Isso acontece por causa das crenças que cada pessoa desenvolve ao longo de sua vida.

 

Resumidamente, crenças são suas percepções sobre você e sobre o mundo que viram a lente sob a qual você enxerga a realidade, mas não é a realidade em si. Ou seja, uma crença não pode ser considerada uma mentira, ou uma verdade, pois faz parte da sua  experiência subjetiva e são seus hábitos psicológicos.

 

As crenças nascem de muitas fontes, como nossa família, escola, traumas, cultura, trabalho, pessoas importantes em nossas vidas, mídia, e assim vai. Geralmente são construídas por experiências repetidas, ou um fato marcante, vivenciado com uma forte emoção. Muitas vezes, uma crença se torna maior do que um conhecimento.

 

Elas podem ser sobre dinheiro, pessoas, oportunidades, capacidade, identidade, aprendizado, situações, tempo, vida, etc.

 

A grande questão é que muitas vezes somos paralizados por crenças disfuncionais, ou seja crenças limitantes, que mudam nossos estados internos e acabam bloqueando nosso desenvolvimento em determinadas áreas de nossas vidas.

 

Lembra do exemplo da pessoa que vai à festa, mas não se sente tão digna de estar ali? Pode ser que ela tenha todos os recursos favoráveis à ela naquele momento, mas provavelmente seu estado interno, emoções e sentimentos estão em frangalhos, e consequentemente, ela não conseguirá aproveitar o máximo que poderia aproveitar.

 

Todos nós temos crenças, sejam elas limitante e paralisantes, ou possibilitadoras e apoiadoras.

A grande sacada é conseguir reconhecer: em quais aspectos de sua vida você tem ideias sobre fracasso? O que você pensa que não é capaz de ser, ter ou fazer? O fato de uma ou mais experiências traumáticas terem acontecido, significa que será sempre assim? Quem te ensinou a pensar dessa forma? Será que você pode contestar algo que aprendeu no passado? Esse aprendizado ainda faz sentido no presente?

 

Enfim, existem muitas formas de trabalhar crenças, dar um novo significado à elas e expandir suas capacidades e percepções sobre quem você é e do que ainda será capaz, desde que se tenha flexibilidade mental para isso.

 

A percepção é um ponto fundamental para a virada de chave. Que tal aproveitar esse final de ano e colocar no papel aquilo que você percebe que está lhe atrapalhando de realizar seus mais ferozes sonhos? Quais crenças você precisa  ressignificar? Sobre relacionamentos? Dinheiro? Família? Sucesso profissional? Espiritualidade?

 

Pense, reflita, anote, mas não pare por ai. Continue evoluindo, buscando e acreditando que você pode e merece ter uma vida cada vez mais feliz e abundante.

 

Na próxima semana, falaremos sobre 7 crenças que podem transformar sua experiência para melhor!

 

Nos vemos em breve!

 

Ariovaldo Ribeiro

Percepção do Mundo

Sua esperança não pode esperar!

Sem demoras, vamos esclarecer: esperança não é esperar. São duas coisas distintas, embora no dicionário tenham significados relativamente parecidos. Mas quando alguém lhe diz “Espere aí!!” qual é sua reação? É parar? Provavelmente sim.

Não precisamos nos aprofundar em linguística ou etimologia das palavras para perceber que, talvez em nossa mente, o significado prático dessas palavras seja bem diferente, e o esperar esteja mais ligado à falta de ação, parar e aguardar, do que esperançar ou esperança, que é confiança, a boa fé, sentimento ou crença de que aquilo que se deseja vai se realizar. Isso nos dá a sensação de que alguma ação é necessária, nem que seja a ação mental de buscar forças para acreditar. Então façamos uma reflexão:

 

O quanto nós estamos sendo sugestionados pela desesperança?

 

Se esperança é acreditar e confiar, desesperança é o contrário disso; é a dúvida, descrença, desilusão.

 

Recebemos e processamos informações de forma muito rápida, somos bombardeados, e mal temos tempo para assimilar ou refletir sobre o que chega até nós. Preferimos desembalar nossos alimentos ao invés de descascá-los. Preferimos o pronto, o rápido, o prático. E por um mecanismo de autodefesa, damos atenção demasiada àquilo que é negativo.

Caso eu peça agora para você pensar em 10 qualidades e defeitos que você enxerga em si, qual lista será mais rapidamente finalizada? E temos a tendência de fazermos isso com tudo, ou quase tudo, sejam noticias, situações, condições, relacionamentos.

A questão é que esse modo de viver pode nos atrapalhar, e muito, pois já existe um suporte científico considerável sobre o poder do sugestionamento.

 

Também a neurociência nos mostra que nossos pensamentos, sejam eles positivos ou negativos,  produzem reações elétricas e químicas, que alteram nossos estados físicos e emocionais, afetando diretamente nosso comportamento e nosso ambiente. Então, em qual modo é mais vantajoso operarmos? Positivo e esperanço? Negativo e desesperançoso? Quais as consequências essas escolhas podem ter em nossas vidas?

 

 

Mas sempre foi assim. O que fazer?

 

Nem você nem eu temos alguma culpa pela rede de influenciadores que existe ao nosso redor e das notícias e preocupações que chegam até nós. Também não temos culpa de termos sido moldados a pensar dessa maneira reativa, de forma a buscar sempre a defensiva, acreditar na competição excessiva e na escassez. Recebemos estímulos e somos sugestionados pela desesperança e pelo medo muito mais vezes do que pela esperança, e isso tem origens mais profundas do que podemos acreditar.

Porém, a partir do momento que temos acesso à essa informação, somos sim responsáveis por fazer algo que nos leve à um outro patamar. Se até a ciência está dizendo que nossos pensamentos e emoções alteram nossa realidade, o que estamos esperando? Lembre-se que houve um tempo na humanidade em que a energia elétrica era algo inimaginável, principalmente por não ser visível aos olhos. Foi necessário que a mente de Thomas Edison tivesse a crença e a boa vontade de se submeter a milhares de tentativas para descobrir o filamento ideal que foi o pontapé inicial para termos tanto conforto que a eletricidade trás ao nosso cotidiano. Ele teve esperança, agindo e acreditando!

 

Dessa forma, também acredito que, assim como a energia elétrica se tornou algo natural e indubitável para toda humanidade, um dia, a manutenção dos bons pensamentos e sentimentos, foco, meditação, ação e nossa esperança em dias melhores também será algo natural e também fará parte de nossas rotinas. Acredito que nossa saúde mental, emocional e espiritual será tratada com atenção, respeito e prioridade para o desenvolvimento de todos os outros campos. Mas sei também que essa é mudança paulatina, e mais do que isso, é uma verdadeira revolução, que começa por dentro.

 

Enquanto esse dia não chega, quero aproveitar esse momento de virada de ano e lhe propor o seguinte: já que é tão fácil duvidar das coisas boas da vida, que tal duvidar também das coisas que não nos agregam? Elas não precisam ser verdades absolutas para você. Você duvida do melhor? Duvide também do pior! Comece por ai. Aproveite essa “onda” de renovação que se aproxima, e permita-se perguntar: E se eu realizasse meus sonhos? E se existisse uma maneira de viver melhor do que a que eu vivo hoje? E se minha vida pudesse ser mais abundante? E se eu pudesse ser mais autoconfiante? Permita-se ter esperança!

 

Aproveite seu réveillon à sua maneira, e faça dele um ato simbólico se isso fizer sentido para você. Acredite! Brinde! Ria! Observe a beleza ao seu redor, seja nas crianças, na natureza, seja no capricho de uma mesa de ceia! Ame! Abrace as pessoas que você não costuma abraçar, e coloque-se o propósito de maximizar isso em sua vida. Uma, duas, dez ou milhares de vezes como foi o caso de Thomas Edson.

Fortaleça seu músculo da constância. Faça planos, sonhe alto! Verbalize, escreva, cante seus sonhos! E se for preciso, busque suporte para que esses sonhos não sejam meros desejos de início de ano.

 

Alimente sua esperança, e não apenas seus monstros interiores. ESPERANCE que o melhor da vida está por vir, e permita que toda a boa vibração e impulsos eletroquímicos que seus pensamentos de esperança lhe causam possam agir e transformar suas ações e sua realidade. Sua esperança não pode esperar!

 

Que 2019 seja cheio de esperança, ação, e consequentemente, a  ABUNDÂNCIA! Acredite! Você merece!

 

QUE VENHA 2019! FELIZ 2019!

 

Ariovaldo Ribeiro

Mentor, Psicoterapeuta Prânico e Master Coach.

Expansão da Consciência

A dor de Não saber por onde começar

Há um pouco mais de 3 décadas lidando com desenvolvimento humano, usando a mim como protótipo, e levando conhecimento e transformação aos mais diversos tipos de pessoas, tenho deparado com uma situação muito recorrente: a dor de não saber por onde começar.

 

É uma dúvida que começa pequena, que gradualmente, pela falta de ação e resultados, ela se torna dolorosa e perigosa.

 

Geralmente, essa dúvida começa mais ou menos assim:

  • Quero muito cuidar de minha saúde e alimentação, mas…
  • Sei que preciso organizar minhas finanças, mas…
  • Eu sinto falta de ter mais tempo com minha família e amigos, porém…
  • Preciso planejar e viver meus sonhos, mas…

 

Isso lhe soa familiar?

 

Os estágios da mudança

Observando as coisas por um prisma positivo, essa dúvida pode até ser considerada um avanço, pois saber e ter consciência de que algo precisa ser modificado, já é um caminho andado. É um dos estágios da mudança, que podemos simplificar da seguinte forma:

Primeiro Estágio –  incompetente inconsciente: É quando não temos consciência dos nossos pontos a desenvolver, de nossos desafios pessoais, ou mesmo, quando simplesmente não queremos olhar para isso, portanto, somos incompetentes naquele momento para mudar significativamente aqueles aspectos de nossas vidas, e nos apegamos em pequenas mudanças superficiais. Vou dar um exemplo bem simples: sabe quando algo dá errado, e ao invés de uma nova postura, uma ação diferente, a pessoa resolve mudar o visual, e para por ai?

 

Segundo estágio – incompetente consciente: quando estamos passando pelo primeiro estágio, e de repente a vida ou alguém lhe dá um baque, e algumas coisas começam a ficar um pouco mais claras. Lembro de uma amiga que depois de muito tempo, percebeu que precisava cuidar de sua saúde física quando alguém lhe fotografou espontaneamente, fora das poses. Quando ela viu a foto, ficou assustada do quanto estava diferente do que “imaginava”; além da autoestima abalada por questões estéticas, associou o fato com sua baixa energia física, fadigas e dores constantes. E a partir desse evento ela percebeu que precisava fazer algo para mudar aquela realidade, ou poderia ter problemas num futuro próximo. Nesse estágio, ainda não mudamos e nem fazemos nada pra mudar, mas já temos consciência de que é preciso agir.

 

Terceiro estágio – competente consciente: nesse ponto já temos consciência do que precisa ser mudado ou aprimorado, e damos os primeiros passos para que isso aconteça. É um estágio no qual ainda não temos domínio pleno sobre o que estamos aprimorando e precisamos estar atentos, ou seja, ainda não temos uma habilidade completamente desenvolvida, mas estamos treinando e buscando o aprendizado através da ação.

 

Quarto estágio – competente inconsciente: após treinarmos e nos dedicarmos naquilo que gostaríamos de transformar, finalmente as mudanças acontecem, começamos a nos tornar hábeis e aquilo parece algo mais natural para nós. Um bom exemplo é quando aprendemos a amarrar o cadarço do sapato, e após muita prática, conseguimos fazê-lo de forma natural, inconsciente, sem precisar de uma grande concentração ou esforço para isso.

 

O que fazer? Como fazer? E com quem?

 

Voltando ao início do assunto, é ótimo e muito positivo quando já sabemos que precisamos modificar algo em nossas vidas. A questão é: como? Por onde começar? Existe alguém que pode facilitar o processo?

 

Bem, existem muitos aspectos, e vou citar apenas dois. O primeiro é que para desenvolvermos uma habilidade, são necessárias outras habilidades e capacidades. Para a liderança por exemplo, precisamos desenvolver sub-habilidades, como uma comunicação efetiva, empatia, visão sistêmica, etc. O segundo é que  nem sempre o fato de saber que precisamos mudar algo em nossas vidas significa que realmente vamos realizar essas mudanças. Existem sutilezas e peculiaridades na mente, na alma humana e nas experiências subjetivas de cada pessoa. Uma mudança de comportamento pode para parecer simples para uma pessoa, porém, para outra pessoa é algo extremamente complexo, pois por trás desse comportamento existem crenças limitadoras profundas, traumas, uma identidade confusa, autossabotagem, entre outros, que sozinhos não conseguiremos acessar, ou levaremos muito tempo para isso

 

Em ambos aspectos, nem sempre isso está muito claro para quem sabe que precisa mudar. É necessário mapear, traçar um plano e reunir o máximo de informações e apoio para isso.

E existem pessoas que realmente dedicam sua vida, sua energia e sua história para agirem como facilitadores de quem busca viver uma real transformação. Pessoas que conseguem desenvolver uma visão global sobre essas mudanças, metas e objetivos, ao mesmo que trabalham a singularidade de cada ser humano. Essas pessoas são essenciais em nossos processos de mudança, do incompetente inconsciente para o competente inconsciente. São cuidadores, treinadores, professores, investidores, mentores.

 

Isso não significa, absolutamente, que uma pessoa não possa fazer mudanças profundas sozinha. Isso é completamente possível. Mas é fato que, se podemos contar com um apoio forte, porque não?

 

Aprender. Desaprender. Reaprender.

 

Na Programação Neurolinguística costumamos dizer que o ser que mais se desenvolve não é o mais forte ou o mais inteligente, e sim o que tem maior flexibilidade. Para mudar, é necessário flexibilizar, e reconhecer quando algo já não é mais útil. Aprender. Desaprender. Reaprender. E se você busca esse processo dentro de você, está no lugar certo.

Posso afirmar que afirmar que compreendo sua dor, pois também  passei por processos profundos e dolorosos de mudanças, e graças à consciência que eles me deram, por todo suporte que recebi, e por tudo que aprimorei dentro e fora de mim, hoje me realizo através das realizações de outras pessoas, amparado não apenas pelas experiências e vivências, como também por ciência e estudos validados. Você pode conferir um pouco da minha história aqui (colocar o link do “conheça seu mentor).

Não sabe por onde começar, mas sabe que precisa fazer algo de diferente? Sente a real dor de não agir, não saber como agir e ver o tempo passar?

Saiba que verdadeiramente você não está sozinha ou sozinho. Estou aqui para andar lado a lado com você, não apenas para o primeiro passo, mas para muitos que virão. E saiba desde já que esse negócio de autoconfiança e autorrealização viciam! Permita-me ser o seu mentor. Vamos juntos?

 

Jornada da Autoconfiança – 08 Semanas que valem por um ano de Coaching na sua Vida.

Abundância.

Dinheiro: O mundo energético não funciona necessariamente como o mundo material.

Existem várias crenças limitantes em que vive boa parte da sociedade, e vou citar uma delas : é preciso “lutar” para alcançar o sucesso financeiro. Ou seja, é necessário muito esforço e sacrifício para chegar à  patamares mais elevados.

 

Você se identifica ou já se identificou com essa crença em algum momento da sua vida? Já fez disso uma verdade absoluta e agiu a partir dessa percepção?

 

Caso a resposta seja positiva, saiba que o mundo energético não funciona necessariamente como o mundo material. Crenças desse tipo podem ser um indício de bloqueio na energia do dinheiro.

 

Você provavelmente já ouvi a frase: o dinheiro é energia.

 

O guru contemporâneo Swami Kriyananda cita “o dinheiro é um símbolo de energia. Podemos usar a energia de modo sábio ou louco; com generosidade ou com egoísmo; com liberdade ou com apego ganancioso. O dinheiro é capaz de trazer muitos benefícios. Usá-lo adequadamente significa realizar um serviço útil e até mesmo espiritual. Dinheiro não é sinônimo de materialismo”.

 

Isso faz sentido para você?

 

A grande questão, é que nem sempre temos a consciência de que alimentamos uma relação de apego e medo do dinheiro ou à falta dele, e que é essa atitude inconsciente nos tira um bocado de paz e nos trás uma pressão conhecida pela maioria das pessoas: a pressão financeira.

 

Não ter dinheiro o suficiente gera uma pressão financeira. Ter dinheiro e não saber gerenciá-lo, tanto economicamente como energeticamente também gera uma pressão financeira. Lutar e competir por dinheiro também nos trás uma pressão financeira. Essa sensação mexe com nossa mente, nos tira do presente para levar-nos à uma projeção futura (quase sempre acompanhada de ansiedade e sofrimento) e dispersa o nosso foco daquilo que realmente pode ajudar. Isso deixa a energia do dinheiro parada, estagnada.

 

Energia é circulação, e para circular é necessário que vários aspectos internos profundos estejam alinhados para o desenvolvimento de uma nova mentalidade. A partir disso, não contamos com sorte, mas com nossa própria clareza interior, que nos possibilitará focar mais nas oportunidades do que em dificuldades e nos colocará, assim como numa dança, em sincronia e fluxo com pessoas, empresas e oportunidades que tenham uma energia similar. Percebe que não é mágica?

 

Um exemplo disso é o caso de pessoas que, mesmo com pouca experiência, poucos recursos, etc, conseguem virar a chave e alcançar a prosperidade material com facilidade e alegria. Conseguem transformar suas vidas, multiplicar suas riquezas e parecem que estão sempre satisfeitas em seus trabalhos. Baseados nesses casos reais e cada vez mais comuns, podemos nos questionar: E o que elas fazem para ter tanta “sorte”? Será mesmo necessário tanto sacrifício e esforço para viver de forma abundante?

 

Repito: mundo energético não funciona como o mundo material.

 

O dinheiro não é um objeto, uma coisa, uma propriedade, um prêmio pelo qual devemos lutar mês a mês. É uma energia da qual podemos desfrutar, compartilhar e multiplicar de forma útil e conveniente.

 

Quando aprendemos a lidar as questões mentais, emocionais e espirituais sobre o dinheiro, passamos a administrar essas pressões e progressivamente desbloqueamos a energia do dinheiro. Isso nos faz viver, no presente, com mais leveza, gratidão e fluxo.

 

Desbloquear a energia do dinheiro é fundamental para solucionar o problema do dinheiro, seja lá como ele for para você.

 

Para expandir sua consciência acerca da energia do dinheiro, é necessária uma firme resolução de que, mesmo que você ainda não tenha ideia de por onde começar, você será próprio herói. E aqui você não estará sozinho.

Descubra o que é viver em pleno estado de autoconfiança, e entre para esse seleto grupo de pessoas que querem o melhor de suas vidas. Descubra o que é e como desbloquear a energia do dinheiro. Com empenho e alegria!

 

Quer saber mais? Confira o Programa: Autoconfiança para Desbloquear a Energia do Dinheiro Alta Octanagem .2.0

 

Te espero do outro lado.

O Céu é o limite.

Ariovaldo Ribeiro

Expansão da Consciência

Um Futuro emergente com AUTOCONFIANÇA

De acordo com uma recente pesquisa do Instituto Locomotiva e do grupo LTM (Loyalty & Trade Management), aproximadamente 56% dos profissionais com carteira assinada estão insatisfeitos com seus trabalhos. Problemas de reconhecimento e de relacionamento interpessoal lideram o ranking da insatisfação.

Líderes e executivos cada vez mais estressados. Empreendedores patinando na desorganização com planejamento, tempo e recursos, provando as delícias e as desventuras de se ter o próprio negócio. Sem contar a epidemia que já atinge todos os níveis, fazendo com que cada vez mais pessoas respondam e-mails profissionais numa confraternização em família, ou nos minutos antes de dormir.

Você já passou, passa, ou conhece alguém que esteja passando por situações similares?

Caso a resposta seja sim, e se não estiver completamente anestesiado com uma repetição de padrões, e não achar que tudo isso é normal e faz parte da vida, provavelmente tem sintomas de incômodo com essa situação e gostaria de mudar: ter maior satisfação em seu trabalho, sentir-se valorizado, receber elogio sobre o desempenho de sua equipe por parte de clientes e parceiros, ser mais produtivo e consequentemente ter mais tempo para vivenciar outras áreas de sua vida com mais qualidade. Ter um propósito naquilo que se dedica.

Faz sentido para você? Ou parece mais um sonho do que algo factível?

Para além dos anseios das formas de trabalho, seja como líder, executivo, assalariado ou empreendedor, devemos lembrar que estamos vivendo uma época de transformações. Uma época cheia crises e incertezas, mas também cheia de inovações, possibilidades e novos tipos de economia.

É como uma onda no mar: você pode observar de longe. Pode chegar perto demais se afogar. Mas quem se prepara, o jeito é aprender a surfar. É o futuro emergente.

Por exemplo, a empresa Tesla, montadora de carros elétricos e autônomos, no ano passado superou o valor de mercado das lendárias Ford e GM, sendo que há apenas 5 anos atrás poucas pessoas sabiam da existência dessa nova marca. Hoje já se tornou um sonho de consumo que vai além dos valores materiais para os valores intangíveis que englobam uma experiência futurística a partir da compra de um automóvel.

Qual o valor que você está criando para si?

Esse é apenas um dos inúmeros casos desse futuro emergente. Já não basta fazer mais do mesmo e congelar no tempo. Já não basta saber ou conhecer, pois o verdadeiro valor é gerado por quem é capaz de superar-se a cada momento, utilizar informações para impactar pessoas e transformar ambientes.

A tendência das novas economias é a troca da pressa pela presença, do status pelo propósito, e da competição pela colaboração.

Você está preparado?

Para chegar nesse patamar, apenas conhecimentos, tempo de estrada e o famoso network, são fatores obsoletos. Mais do que nunca são necessárias habilidades comportamentais, emocionais, clareza mental, autoestima e relacionamentos com conexão genuína.

É necessário viver com AUTOCONFIANÇA: mais do que uma habilidade, um estado que nos coloca em ação, baseados na crença profunda de realização pessoal e profissional, que nutre relacionamentos a partir da consciência, transformando positivamente nossa forma comunicação e liderança, dando-nos o sentido de colaboração com propósito.

Autoconfiança é cura interior, paz de espírito. E o mundo precisa cada vez mais de protagonistas que tragam esses valores aos novos tempos.

Se você deseja ser o agente transformador de sua vida, faça parte dessa jornada. Comece por dentro. Viva a AUTOCONFIANÇA no presente, e prepare-se para esse futuro emergente que está bem diante dos seus olhos.

Autoconhecimento

Semana da Autoconfiança + Master Class – Convite Especial.

Olá

Tenho um convite especial para você.

Venha participar comigo da Semana da Autoconfiança

Esta semana tem por objetivo compartilhar conteúdo, experiências e dicas valiosas sobre Autoconfiança.

* Então se você não tem interesse nesta área (desenvolvimento de liderança pessoal) este grupo não é para você, pois aqui focaremos exclusivamente neste tema.

E como tudo acontecerá?

# Hoje o grupo está sendo formado;

# Dia 22/10 começa a Semana da Autoconfiança;

# No 25/10 (quinta-feira) finalizamos a Semana da Autoconfiança com uma aula ao vivo às 20:00hs, então marque na sua agenda, pois nesta aula trabalharemos um tema que é uma das principais dificuldades da maioria das pessoas que buscam viver com mais autoconfiança nesta Aula ao vivo “Jornada da Autoconfiança” também estarei sorteando para 10 participantes que estiverem presentes na aula ao vivo, uma mentoria em grupo, on-line e exclusiva comigo;

# Todos os dias no início da manhã você receberá um áudio com conteúdo e dicas valiosas sobre Autoconfiança;

# Trabalharemos os seguintes temas durante a Semana:

Primeiro dia: Autoconhecimento

Autoconhecimento e expansão da Consciência.

Construção dos pilares, para desenvolvimento da Autoconfiança.

Alinhamento de expectativas.

Aplicação de Técnicas pra mudanças rápidas.

Segundo dia: Níveis Neurológicos da Mudança.

Uma grande oportunidade de acessar níveis mais profundos, liberar e extirpar qualquer dor consciente ou inconsciente, presente ou ausente de nossas lembranças com aporte da Neurolinguística, Inteligência Espiritual e Inteligência Emocional. É uma etapa fundamental da Jornada da Autoconfiança

Meditação Mindfulness

Terceiro dia: Abundancia.

Aqui vamos adentrar nos pilares da Vida Extraordinária e como desbloquear a Energia do Dinheiro.

Desconstrução de Modelos.

Quarto dia: Aula ao vivo “JORNADA DA AUTOCONFIANCA”

# Durante o dia é a sua vez de participar, este é o momento de você postar suas reflexões, experiências e dúvidas sobre o tema do dia;

# À noite responderei as questões de vocês (todas que forem possíveis) referentes ao tema do dia e farei uma reflexão e fechamento do dia.

# No final da Semana da Autoconfiança o grupo será desfeito

Bom você já deve ter percebido que será uma semana intensa e de muito aprendizado, por isso é importante manter o foco, sendo assim solicito que todas as postagens sejam relacionadas somente ao tema Autoconfiança?

Vai encarar?

Semana da Autoconfiança + Master Class:  https://bit.ly/2S04eYF

Te espero do outro lado.

Ariovaldo Ribeiro

Expansão da Consciência

O que fazer quando nos empenhamos ao máximo e fracassamos?

Existe uma maneira de encorajar uma tendência para melhor?

Sim, mas isso existe sangue frio, arrojo e disciplina. Temos de nos colocar numa linha de conduta, obrigando-nos a uma ação positiva. Temos de estabelecer uma situação na qual haveremos de produzir!

Não estou sugerindo que você hipoteque o futuro da sua família numa única proposição de “ganha ou perde”.

Estou sugerindo metas especificas, com prazos e datas específicos. Estou sugerindo disciplina e vontade de vencer.

Comece hoje o que planeja fazer um dia! Estabeleça um programa de planejamento, atividade, dieta, meditação e trabalho criador.

Matricule-se no curso de aperfeiçoamento no qual você esteve pensando. Não reclame que ele é muito caro. Se valer o preço consiga o dinheiro e faça o curso. Faça algo positivo. Compre uma coleção de bons livros inspirativos e leia-os.

Então, coloque em pratica as ideias que valham a pena. Entre em contato com as pessoas que você tem planejado relacionar-se. Saia de qualquer rotina que possa estagnar e esforce-se para fazer algo diferente. Levante-se uma hora antes pela manhã, para se exercitar, meditar, e planejar o seu dia. Se for necessário, ore até que consiga romper a concha mental-emocional e seja “transformado pela renovação de sua mente” e esteja dedicado de novo ao alto propósito para o qual foi chamado a esta Terra.

Faça o que sabe que tem que ser feito para ser bem-sucedido. Não fale sobre isso – faça-o! Procedendo assim, você não poderá falhar, de maneira alguma.

Precisamos ser disciplinados, precisamos ter conhecimento acerca de nossos empreendimentos criadores e precisamos ir adiante, até a conclusão favorável dos nossos projetos. O conhecimento e ação disciplinada são as combinações certas para a concretização de tudo. A disciplina capacita-nos a conservar a energia e a dirigi-la sabiamente. Os hábitos superficiais de pensamento, o movimento sem propósito e a energia desperdiçada garantem a derrota e a morte.

Extrato do livro: Imaginação Criadora de Roy Eugene Davis.

O que acrescentar? Nada ! não é mesmo?

Hoje revisitando a livraria me deparei com este texto e compartilho com o propósito de acender uma luz a quem precise.

Incluso eu mesmo em alguns momentos.

Namaste!

Ariovaldo Ribeiro.

 

(Caso tenha interesse em ler na integra você pode ter acesso ao livro clicando aqui.)

Autoconhecimento

Lição #4 de 7: Descubra os 05 maiores entraves que impedem as pessoas de viverem com Autoconfiança e Abundância.

Você sabe o que é protelação? Com certeza não, né?

Não faz muito tempo, assisti um quadro no Fantástico que tinha como pano de fundo o leito de morte. Trágico não? Espere um pouco, a moral era justamente demostrar que muitas pessoas naquele momento desejariam ter passado mais tempo com a família ao invés de estar no escritório ou assistindo televisão.

 

O hábito da protelação, que significa adiamento, retardamento ou postergação, já se tornou tão corriqueiro que é tido hoje como um procedimento dentro da normalidade para inúmeras pessoas. Daí que elas passam muito tempo no escritório justamente por demorarem a entrar em ação. O velho hábito de deixar sempre para depois faz com que ela gaste mais tempo no trabalho, tenha que trabalhar até mais tarde ou realizar muito mais reuniões improdutivas, preferindo ficar buscando culpados do que admitir que realmente não deu a importância devida para a tarefa quando se fez necessário.

 

E o que vem em seguida?  Vamos lá… hora de levar trabalho para casa. Só que ao chegar em casa em função  do dia estressante – agora entenda que a energia gerada envolta à protelação consome tanto você e traz tantas e diferentes dores – que tudo o que você precisa neste momento é um pouco de relaxamento e ficar na “caixinha do nada”. E o que você faz ? Passa horas em frente à televisão!

 

E no outro dia, vai para o trabalho com a energia da protelação, até porque o filme estava tão interessante que você não teve tempo para terminar aquele trabalho.

 

O mundo está repleto de pessoas insatisfeitas com os próprios resultados, que, ainda assim, continuam a fazer as mesmas coisas, a ter os mesmos pensamentos, a dizer as mesmas palavras, a tomar as mesmas atitudes todos os dias, mas se surpreendem por continuar a obter os mesmos efeitos negativos.

 

O que vem custando a você, o hábito de deixar sempre para depois?

 

Uma regra de ouro da Jornada da Autoconfiança é: se você quiser alcançar as suas maiores aspirações e superar os seus maiores desafios, realizar os seus mais ferozes sonhos, você precisa entrar em AÇÃO. É assim que na Jornada instrumentalizamos todos os participantes a romperem suas barreiras e realizarem mais, se colocando em movimento.

 

O que muitas pessoas não sabem e nem se quer sonham, é que são as pequenas coisas deixadas para depois e o acúmulo desta ação que vai pouco a pouco levando a autoconfiança à bancarrota. E uma vez que você perde a autoconfiança perde a mola propulsora dos resultados satisfatórios.

 

Muitas pessoas não pensam desta maneira, não de forma consciente. Hoje em dia um grande número de pessoas é dominado por uma sensação de medo. Claro que tudo é muito velado. Imagine, ninguém em sã consciência vai chegar no trabalho verbalizando: “quer saber? Hoje estou com medo!” ou vai virar para o seu cônjuge e dizer: “estou temeroso com relação ao futuro”. O fato é que cada vez mais existem pessoas vulneráveis. Essa vulnerabilidade leva as pessoas a buscarem a zona de conforto, o tédio, a frustração… levam a uma vida sem propósito.

 

Onde quer que você encontre um problema, você vai encontrar o dedo acusatório da culpa. As pessoas estão viciadas em bancar a vítima. É muito mais fácil apontar o dedo para fora do que assumir o AUTOCONTROLE de sua vida. Assumir as rédeas e realmente fazer o que precisa ser feito, no momento que precisa ser feito. Quando nos permitimos acreditar que somos vítimas das nossas circunstâncias e cedemos ao problema da protelação, nos acomodamos à resignação e  à estagnação. “Sou um ‘fracassado’, e não há nada que eu possa fazer a respeito”. Muitas pessoas brilhantes e talentosas pensam assim e sofrem o grande leque que se segue de desânimo, protelação e depressão.

 

Você precisa aprender a identificar e a eliminar as coisas que estão consumindo a sua energia. A energia necessária para perseguir seus sonhos, se relacionar com os outros e buscar o bem estar físico e emocional. Para quem vive deixando para depois, essa energia que já está limitada, muitas vezes desaparece por completo.  Toda ação representa um acúmulo de energia e o que você não sabe é que a ausência de ação consome muito mais energia. O escritório desorganizado que você pretendia arrumar e deixou para depois, inconscientemente você vai recebendo as cobranças destes pequenos atos protelados, desviando sua atenção e isso vai roubando sua energia. Uma roupa que precisa ser consertada. Aquela fechadura que você não trocou. O médico que você não visitou. Aquela conversa que você deixou para depois. Lembrar que você já deveria ter trocado o óleo do seu carro e ainda não o fez, rouba a sua energia. Todas essas pequenas coisas minam pouco a pouco suas forças.

 

E as coisas mais importantes ? Uma mãe idosa que mora longe e você nunca liga é motivo de uma preocupação constante. Os problemas financeiros que você não enfrenta acabam tirando o seu sono no dia a dia. Ou o problema de saúde que você adia até se tornar sério e inevitável.

 

Essas são pequenas protelações que levam você ao limite da exaustão, sem ânimo e sem alegria de viver. Todos os itens da sua lista mental de “tenho que”, as ações que você adia, geram sentimento de culpa consumindo sua vida e o resultado é que você não só protela como não atinge nenhuma de suas mais importantes metas na vida.

 

Aqui não basta ter só o conhecimento. Também não basta agora  simplesmente tentar fazer tudo o que você não fez durante o dia. Se fosse simples assim tomar consciência e entrar em ação, esse não seria um mal que assola a vida moderna. É preciso descer um pouco mais, ir a níveis mais profundos para a mudança.

 

Quando as pessoas precisam realizar algo e não o fazem são consumidas por uma energia envolta a uma sensação de frustração que chega a paralisar toda e qualquer ação.   A grande verdade é que por trás de toda protelação existe uma crença negativa.

 

Daí, chegamos ao terceiro entrave: uma crença negativa, que chamamos de crença limitante. Talvez você não perceba, ou não se dê conta, mas o que você acredita sobre você que te trava pode lhe trazer grandes complicações na vida pessoal, nos seus relacionamentos e também na sua vida profissional.  Mas de onde veio mesmo essa crença?

 

É sobre isso que vamos falar no próximo post.

Até lá

Ariovaldo Ribeiro

Autoconhecimento

Lição #3 de 7: Descubra os 05 maiores entraves que impedem as pessoas de viverem com Autoconfiança e Abundância.

Você é aquela pessoa que diz “ não tenho tempo? ”

 

Não consegue administrar sua agenda? Não tem uma agenda? Perde dinheiro e oportunidades por não administrar seu tempo?

 

Geralmente por trás da afirmação “não tenho tempo”, encontramos uma série de justificativas que são aceitáveis do ponto de vista racional, mas ao longo do tempo essa afirmação passa a ser totalmente irracional. Todos têm tempo, ele é o recurso mais democrático que existe, pois todos nós temos a mesma quantidade, 24 horas por dia!

 

Vivemos em um mundo cada vez mais veloz. A sensação que temos a cada ano, é que tudo está passando cada vez mais rápido. E essa sensação está criando um grande caos gerando mais cansaço e quando não podemos lidar com isso nos paralisamos. Em casa não temos tempo para a família, não temos tempo para os filhos, não temos tempo para nos relacionarmos mais. No trabalho, a pressão faz com que os profissionais se digladiem para manter ou galgar posições. Jornadas cada vez mais longas. Levar trabalho para casa, estar conectado o tempo todo, olhar e-mail a cada segundo, não desgrudar do whatsapp, tudo isso não é mais suficiente para dar conta de demandas cada vez maiores. Na vida pessoal, a saúde é sempre posta de lado. Almoços que duram 15 minutos enquanto se atende o celular, o fast food substitui refeições saudáveis e a academia acaba sendo só mais um item na fatura do cartão de crédito. É necessário um empenho constante para continuar competitivo no mercado, daí não existe mais tempo para a tão sonhada qualidade de vida, praticar  esportes ou dedicar um tempo com qualidade junto à família. Os projetos pessoais são substituídos por necessidades mais urgentes. Esse cenário pode parecer extremo, mas é a realidade de muitas pessoas hoje em dia.

 

Em seu livro: Tríade do Tempo”, Christian Barbosa, hoje tido como um grande expert no tema “Administração do Tempo”, cuja metodologia cientificamente comprovada e validada uso na Jornada da Autoconfiança, comenta que: “O estresse é um problema mundial tão sério que os números chegam a ser assustadores. O Quarto Levantamento Europeu sobre as Condições de Trabalho (Forth European Working Conditions Survey – 2007), conduzido pela Fundação Europeia para a Melhoria das Condições de Vida e de Trabalho, sediada em Dublin, mostrou que o estresse ocupacional afeta milhões de trabalhadores da União Europeia, em todos os ramos de atividade. Na pesquisa, 33% dos entrevistados (aproximadamente 1 em cada 3) declararam ter a saúde afetada pelo estresse. Trata-se do quarto problema mais mencionado – ficando atrás somente de dores nas costas, dores musculares e cansaço. A cada ano, conforme esse cálculo, 41 milhões de trabalhadores são afetados pelo estresse ocupacional. Não é difícil imaginar que isso resulta em milhões e milhões de dias de trabalho perdidos.”

 

E ainda mais, as pessoas já aceitam como normal esse ritmo desenfreado!

Assim, muitas práticas que funcionavam no passado e que regulavam a vida de muitas pessoas, não funcionam mais nos dias atuais.

 

Problemas de saúde como gastrite, pressão alta, diabetes e infartos são consequências da vida cotidiana. O estresse é visto como algo tão corriqueiro que muitos o consideram até mesmo necessário e quando você diz que não está estressado, as pessoas perguntam se você perdeu o emprego.

 

Provavelmente e quase na sua totalidade as pessoas que não possuem uma boa organização de tempo também perdem ou deixam de ganhar dinheiro em suas vidas. Chega a ser quase que unanime o pensamento de pagar por aquilo que almejamos ter. Ou usamos dinheiro ou dedicamos mais tempo e economizamos esse dinheiro para outras finalidades. Agora, se você não tem nem tempo, nem dinheiro por não saber administrar melhor seu tempo, também está desperdiçando não só seus recursos e perdendo oportunidades como está permitindo que esse grande entrave limite sua vida.

 

Muitas pessoas esperam o momento certo para mudar de vida, mudar de hábito, mudar de estilo. Às vezes, esperam a vida inteira e esse tempo nunca chega. Outras acham que já perderam esse tempo. Administração do tempo, não se trata de você ficar vigiando as horas do relógio. Passamos a vida preocupados com o tempo que passou e com o tempo que virá e acabamos nos esquecendo de viver no aqui e agora. Há vezes em que o estresse está tão enraizado que isso já parece normal. É a vida. Será mesmo?

 

O tempo parece ser o grande entrave da satisfação e do sucesso da maioria das pessoas. Acontece que quando alguém afirma não ter tempo, essa pessoa também protela muito e acaba vivenciando o segundo entrave.

 

Mas sobre isso a gente conversa no próximo post.

Até lá.

Ariovaldo Ribeiro

Mentor, Psicoterapeuta Prânico e Master Coach.